5 dicas para os varejistas terem sucesso na Black Friday

Publish date:

“Para muitos varejistas no Brasil, a Black Friday já é o segundo maior evento do ano, atrás apenas do Natal. Dispositivos móveis fazem cada vez mais parte dos acessos online, tanto para pesquisa de preço e promoção quanto para compra efetiva”, explica André França, vice-presidente de serviços de infraestrutura e outsourcing da Capgemini no Brasil.

Pensando neste cenário, a Capgemini, um dos líderes globais em serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, lista as cinco principais tendências e dicas para que os varejistas obtenham sucesso nesta data tão importante para o varejo.

1. Lojas, tanto online como físicas, devem impulsionar sua presença nas mídias sociais para tornar a marca conhecida.As mídias sociais permite que os varejistas criem um modelo de venda direta, construindo redes de influência, direcionando o tráfego e o interesse para suas lojas físicas”, afirma França.

2. Com o e-commerce, as vendas nas lojas físicas nessas datas têm um crescimento menor do que o das online. Para reverter esta situação, os varejistas devem oferecer produtos diferenciados ou experiências únicas – ou ambos, o que seria o ideal. Personalização e diferenciação são as chaves para atrair o consumidor, que deve estar no centro das estratégias do setor varejista. Para isso, é muito importante analisar a jornada de compra do cliente por meio do uso da tecnologia”, diz o executivo.

3. A adoção da tecnologia RFID (Identificação por Radiofreqüência) nos produtos possibilita maior precisão do estoque e fornece informações sobre suas vendas, baseadas no design, posicionamento na prateleira ou preço.RFID também pode melhorar a produtividade das linhas de montagem, já que os displays digitais também capturam feedback em tempo real para iniciar a produção de itens de outros tamanhos ou cores, por exemplo”, explica França.

4. Varejistas que atendem por meio de vários canais devem oferecer uma experiência única e integrada.Lojas físicas precisam ser capazes de transacionar itens exclusivos online, e vice-versa. O consumidor quer ter várias possibilidades, como comprar online e retirar na loja. Mas para que isso seja possível, as operações devem estar totalmente integradas e atualizadas em tempo real”, comenta.

5. Marcas que só estão no comércio eletrônico precisam garantir que sua política permita trocas fáceis e rápidas.O consumidor digital procura experiências de compra que sejam personalizadas, fáceis e com entregas rápidas. Caso o produto não atenda suas expectativas, ele quer ter este mesmo trâmite na hora de devolver ou trocar o produto”, enfatiza.

capgemini_launches_auto...

Tamanho do arquivo: 182,37 KB File type: PDF
cookies.
By continuing to navigate on this website, you accept the use of cookies.
For more information and to change the setting of cookies on your computer, please read our Privacy Policy.

Fechar

Fechar informações de cookies